Diário de Maria

O Apartamento III

dezembro 07, 2011Ricardo Santo



Maria deliciou-se isolada do mundo durante alguns segundos provando o sémen quente que escorria em pequenos rasgos pela sua face, era um momento só seu, adorava sentir aquela mistura agridoce do estranho a fervilhar na sua boca, consolando-se naquele quarto obscuro, lambendo cada um dos dedos de forma gulosa, os seus lábios ensopados trepidavam de entusiasmo. Por momentos sentiu-se completamente puta, envolta naquele vexame de prazer, uma sem vergonha que transbordava ousadia, a sua puta predilecta que agora o olhava bem fundo nos olhos castanhos-escuros enquanto lambia o pendente de prata em jeito de provocação, estava cheio de sémen. O estranho deitado tinha apreciado tamanha entrega por parte de Maria, não tinha querido interferir na acção mas tinha despertado e era hora de entrar em campo, já tinha feito o aquecimento, era altura de marcar uns golos para a equipa da casa e vencer o jogo. Por mais que quisesse era impossível ficar indiferente ao encanto natural da jovem, à sua magnética simplicidade, foram vários meses de afastamento que somente fizeram aumentar o desejo neste reencontro inesperado. Maria caminhou sobre ele, aproximando-se como uma gata, movimentos delicados trepando sobre o sensual corpo num verdadeiro jogo de sedução, estava assanhada. O seu sorriso malandro de criança fazia antever diversão naquela mente depravada, transbordava malícia, pretendia mais acção. Com um jogo de ancas sentou-se sobre o membro, ainda estava quente e pulsante, remexeu e esfregou os lábios do seu sexo naquele pau delicioso, pequenos movimentos circulares, mimando e fazendo-o voltar à vida, renascer. Sentiu de imediato uma subida de temperatura no seu corpo, o próprio peito ficou mais firme afectado pela voluptuosidade que aquele membro emanava. Pressentiu o tesão a germinar, vindo das profundezas do seu corpo, instalando-se aos poucos a cada movimento de anca mais arrojado.

Continuou a sua caminhada felina, subindo para cima da barriga, depois para cima do peito, roçando os seus lábios molhados sobre a pele do parceiro, deixando um rasto de deleite que se libertava do seu íntimo. Elevou as pernas com a sua delicadeza natural, presenteando o estranho com uma visão privilegiada da sua gruta de prazer, estava a poucos cm da sua face. Mesmo no escuro Maria notou a sua satisfação, o voyeurismo corria-lhe no sangue. Levou as mãos aos peitos acariciando os seios atrevidos, apertando-os com vontade, deixando vislumbrar os mamilos tesos entre os nós dos dedos. Levou a mão direita à boca molhando abundantemente alguns dedos, percorreu com eles o pequeno trajecto até ao seu sexo e com dois dedos apenas afastou os lábios de forma a entesar o parceiro. Este não se fez rogado ao chamamento, deixou-se deslizar para debaixo das pernas de Maria, sentia-se extasiado, queria provar o fruto do pecado. Pela segunda vez em poucas horas a sua boca voltava a sentir um sexo latejante, palpitando entre os seus lábios, contorcendo-se entre a sua língua exploradora, exactamente como ele tanto gostava. Maria aguentava-se como podia rebatendo aquele súbito ataque, contorcia os músculos apoiando os joelhos na cama, tentando controlar as vagas de energia que a inundavam a cada passagem de língua no seu interior. Esticou os braços e cravou fortemente as mãos nos ferros adornados da cabeceira, involuntariamente fechou os olhos, a sua boca foi forçada a abrir para conseguir respirar em condições, a sua mente era invadida por raios que a electrizavam. Sentiu uma ponta de língua a percorrer o interior do seu canal rosado, os lábios a serem sugados para uma boca quente e sôfrega, o palpitante clítoris a ser trespassado vezes e vezes sem conta fazendo-a perder a noção da realidade, assim era fácil perder o controlo, tinha definitivamente o diabo no corpo.

O estranho não abrandou a sua investida, muito pelo contrário. Enquanto saboreava o banquete de forma gulosa as suas mãos apoiavam-se nas pernas sensuais da parceira, explorando em sintonia. Conseguia sentir na palma das mãos o leve tremor em crescendo, primeiro com pequenos espasmos involuntários, depois o tremelicar mais constante denunciando a momentânea perca de controlo. As mãos conduziam as pernas com o intuito de aumentar a intensidade do jogo de ancas. Maria perdia-se em gemidos esfregando-se naquela boca, pequenos murmúrios e palavras sem nexo brotavam misturados com a respiração ofegante, estava completamente arrebatada. Aumentou a velocidade das suas investidas, a língua em turbilhão explorava cada saliência fazendo questão de marcar a sua voluptuosidade. As investidas exploratórias ao ânus duplicavam o prazer e traziam uma mistura de sabores únicos mas o excitante clítoris era o foco predilecto absorvendo-o em sucessivos ataques impetuosos, uma e outra vez, ferindo-o a cada ofensiva, já não explorava uma zona húmida, era um verdadeiro lago. Maria tremia agora de forma veemente, a sua respiração já era, o descontrolo era patenteado ao sabor de cada nova passagem de língua no seu interior, o ventre ameaçava entrar em erupção a qualquer segundo. Queria aguentar mas sabia perfeitamente que existem coisas que não são passíveis de suportar, a mente não consegue combater o desejo, estava “out of control”. A união explosiva dos lábios os estranho nos seus teve o seu efeito prático levando Maria a atingir um intenso orgasmo. Perdeu a noção do espaço, gritou para o seu interior ao sentir-se usurpada com tanta exuberância, contracções ininterruptas arrebatavam todos os seus sentidos, apertou as mãos nos ferros até ficarem vermelhas, nem as conseguia sentir, as pernas tremeram em desassossego tal a violência que brotava do seu ser e a cegavam de luxúria, o nirvana..

Continua...

You Might Also Like

42 comentários

  1. Uiiiiiiiiiiiiiiiii!
    DELÍCIAAAAAAAAAAAAA!
    Amei.
    Beijinhos...

    ResponderEliminar
  2. Deixas-me completamente envolta, num arrepio de tesão!!!


    Beijo-te e confesso-te saudades.
    Espero que esteja tudo bem =)

    ResponderEliminar
  3. "Aproximando-se como uma Gata"...
    "Estava assanhada"...
    "A sua caminhada Felina"....


    Deves de estar mesmo a pedi-las deves....


    fffffeeeeeeee

    ResponderEliminar
  4. Casal do Arrocha

    Bem vindos ao meu pequeno espaço e obrigado pelo comentário. Ainda bem que ficaram agradados com esta parte do conto. Espero que regressem para a continuação...

    ResponderEliminar
  5. EROTICAMENTE FALANDO

    É tão bom sentir-te assim, envolta e inebriada nas minhas palavras. As saudades são fruto da nossa imaginação, é sempre possível estar perto ;)

    Beijo

    ResponderEliminar
  6. GataHari

    Nem tudo é o que parece...
    Qualquer semelhança com a realidade é pura coincidência...
    ;)

    Não fique mais assanhada do que já está. Pode fazer mal...

    ResponderEliminar
  7. Assanhada eu???

    E logo por si???

    Pffeee

    Diabinho impertinente...

    :P

    ResponderEliminar
  8. GataHari

    Assanhada sim, bastante, muito, hiper. Mas eu não referi que essa inquietação é sobre a minha pessoa...

    ResponderEliminar
  9. A sua pessoa que é extremamente impertinente...


    PPfffffeee

    E esse seu "estranho" é um convencido cheio de mania que é o maior!! Queria vê-lo a fazer-me o mesmo que acabou de fazer agora à Maria....de certeza que não conseguiria fazer-me chegar lá...


    :P
    (língua toda de fora)

    ResponderEliminar
  10. GataHari

    Julgo que a personagem do Estranho não necessita de provar nada a ninguém. Já deu mostras das suas qualidades em diversas ocasiões. Não questione as suas habilidades, especialmente em matérias que ele domina...

    Também não se esqueça que com mais ou com menos trabalho, com mais ou menos sabedoria ou com mais ou menos empenho todas as gatas atingem o orgasmo. Até um Santo consegue tal proeza...

    Por último a minha personagem é o que eu bem quiser e me apetecer ;) aqui a equipa da casa vence sempre o jogo. Pode sempre comer e deixar as espinhas à borda do prato...

    ResponderEliminar
  11. Isso é que é responder à letra menino Santinho!

    Que de Santinho nada tem....é um Diabinho por completo.

    Isso....argumente e dê-me assim tesão, que eu gosto...

    Quanto ao seu "estranho"...continuo a questionar as suas habilidades!

    ;)


    (a equipa da casa vence sempre? não estou aqui para ganhar ou perder...)

    ResponderEliminar
  12. Bem, depois de um regresso extraordinária da Maria, em que o estranho ficou quase na penumbra, o mesmo acordou em grande...






    Beijos :-)


    ps: pena é que sejam apenas palavras (bem) escritas...

    ResponderEliminar
  13. Uiiiiiiiiii que delícia
    Bjs prometidos

    ResponderEliminar
  14. Sometimes you, sometimes me... Jogo de poderes perfeito! Quem vence na hora final, pouco importa, não é o destino que faz valer a pena, mas sim a viagem até lá, e nisso Santo Diabinho... as tuas personagens levam-nos para lá dos sentidos!

    É um prazer ler-te... mesmo.

    Beijo libertyo

    ResponderEliminar
  15. Há nirvanas sim, de facto e quando os atingimos... é algo transcendente!

    Gostei da versão de "Bad Romance".

    um beijo

    ResponderEliminar
  16. Santo Diabinho, parece-me que desta vez conseguiu transpor para o virtual uma tal realidade. Afinal, a vontade não nasce do nada e parece-me alguém capaz de levar quem deseja até onde pretende...não são todos os que usam a mente e a curiosidade dos outros com tal mestria. Basta usar as palavras certas e saber esperar pelo resultado... Bom trabalho!

    ResponderEliminar
  17. GataHari

    Santos estão no céu e se sou ou não um Diabinho terás de descobrir por ti. Tesão encontras em qualquer esquina ou tasca, basta saber procurar, não será dificil para uma gata que se diz assanhada. A personagem do "Estranho" não tem de provar nada a ninguém, está tudo escrito sobre esse assunto nos diversos contos, tenho a certeza que sabe ler...
    ;)

    ResponderEliminar
  18. Me

    O "Estranho" por vezes tem destas coisas, desperta emoções, provoca sentimentos, cativa atenções, até aquece nas noites frias...
    Umas vezes mais visivel, outras vezes a caminhar na sombra...

    ResponderEliminar
  19. Desire

    Ainda bem que o texto cativou o teu desejo. Espero-te de regresso para o próximo conto :)

    ResponderEliminar
  20. Libertya

    O jogo quando é jogado por dois bons executantes termina sempre desta forma, numa partilha e entrega sem limite. O resultado pouco importa, nem sequer está em causa, o caminho percorrido é que faz toda a diferença, tu sabes, eu sei...

    Não faz sentido ser de outra forma. Obrigado pelas palavras quentes, tão tuas...

    ResponderEliminar
  21. Lalisca

    Completamente de acordo, cabe a cada um de nós procurar por eles. Espero que tenhas os teus....

    Esta versão dos 30 Seconds To Mars coloca de lado qualquer Lady Gaga...

    ResponderEliminar
  22. Uma Leitora

    Os contos estão embrenhados num misto de real e virtual, é fácil de identificar essa mistura entre as personagens, elas vivem e caminham num mundo alternativo.

    Mais difícil é o leitor identificar o que é real ou não na minha escrita. Isso sim não é para qualquer mente...

    Para conseguir transmitir emoções e sentimentos pelas palavras é necessário um conhecimento prévio de como o fazer, não é só escrever meia dúzia de linhas, algo interessante ou que provoque tesão e pronto, já está. Para tal é preciso detalhe e sabedoria...

    ResponderEliminar
  23. Santo Diabinho, parece-me que, para tal, é preciso já ter vivido o que se fala ou se escreve (no seu caso). Afinal, como podemos escrever sobre algo que nunca experimentámos na pele? De que adianta escrever sensações e emoções que nunca foram vividas por quem as pretende transmitir aos outros?

    ResponderEliminar
  24. Uma Leitora

    Isso terá de avaliar por si, é um mistério bem guardado...

    ResponderEliminar
  25. Santo Diabinho, era uma pergunta de retórica... ;)

    ResponderEliminar
  26. Ola Santo Diabinho!!!

    antes de mais obrigado por teres visitado o meu cantinho...fiquei admirada pois nao sabia que os diabinhos eram santos :)

    adorei o teu blog, as tuas palavras são simples e fantásticas, elas revelam uma certa sensualidade e transmitem um desejo intenso...


    vou continuar a seguir bem de perto as aventuras da Maria

    beijinhos diabolicos

    ResponderEliminar
  27. Diabinha

    Bem-Vinda a este pequeno canto. Espero que gostes das palavras e devaneios que por aqui aparecem vindos da minha mente. Quem disse que existem Santos ou Diabos por aqui?

    Obrigado pelas palavras quentes e espero-te de volta brevemente. Embrenha-te nas aventuras mas já te apercebeste que todas possuem continuação, deves passar os olhos pelas mais antigas primeiro...

    Beijo

    ResponderEliminar
  28. Santo Diabinho, não se tratou de nenhum tipo de provocação; penso até que era mais uma conversa inteligente. Já não se fazem conversas dessas, infelizmente.

    ResponderEliminar
  29. Primeiro "peco" por não me perder mais vezes no labirinto desta tua exótica e pormenorizada escrita. Segundo, vou ser mais atenta a Maria e a ti! Terceiro, sim, és um cyclone homem! Quarto, as palavras em ti encaixam! Quinto, tenho medo das palavras. Sexto, saudades de viajar assim... Obrigada, voei.
    Beijo com carinho.

    ResponderEliminar
  30. Hoje o meu registo neste espaço é apenas este:

    FELIZ NATAL!

    ResponderEliminar
  31. Neste tipo de jogos, onde as regras, ou isenção delas, são implementadas conforme as jogadas vão sendo reveladas, é tudo uma questão de partilha... e entrega, sem dúvida, ao outro, a nós mesmos e, à descoberta dos limites de ambos.

    Profundamente viciante, como a tua escrita...

    ResponderEliminar
  32. Que este seja mais um Natal repleto de prazeres ilimitados!

    Que a noite traga consigo toda a magia e encanto e que encha o teu coração de tudo aquilo que mais desejares...

    São os meus votos... FELIZ NATAL =)

    ResponderEliminar
  33. Uma leitora

    A provocação faz parte deste pequeno canto. Concordo em parte com o que diz pois escrever sem ter passado pelas experiências é algo complicado mas... existe muito boa gente que o consegue fazer, basta um pouco de imaginação, uns rabiscos e está feito. Por vezes nesse tipo de escrita até se consegue transmitir emoções fortes.

    Cabe a cada leitor conseguir identificar essa diferença, conseguir entrar nas palavras, na mente de quem as escreve e conseguir "ler", ler com atenção, porque está lá tudo escrito...

    Beijo

    ResponderEliminar
  34. Bianca

    Obrigado pelas palavras quentes, foram sentidas deste lado. A realidade vem da tua cabeça. O "pecado" da minha escrita é esse mesmo, fazer a mente do leitor deixar de acreditar no que é ou não real, nem que seja por breves minutos. A viagem és tu que a fazes, não interessa quanto tempo demora ou como vai terminar, o que conta é a experiência e o tempo que prolonga o percurso.

    Não tenhas medo das palavras...
    Beijo

    ResponderEliminar
  35. Red Angel

    Obrigado pela visita e pelo carinho.
    Invado o teu espaço em retribuição.
    Aguardo-te mais activa na escrita...
    :)

    Beijo

    ResponderEliminar
  36. Libertya

    Dificilmente escolheria palavras mais acertadas para descrever o envolvimento destas duas intensas personagens, mas vindo o comentário da tua pessoa, não poderia esperar nada menos. A vida é um jogo, as regras vão sendo construídas e quebradas vezes e vezes sem conta, a partilha, a entrega e o desejo esses então todos para a mala da viagem...

    Beijo

    ResponderEliminar
  37. EROTICAMENTE FALANDO

    Obrigado pelo carinho e por mais esta invasão ao meu recanto. Espero que estejas a passar esta época em harmonia.

    Beijo

    ResponderEliminar
  38. GataHari

    Certamente encontra algumas coisas interessantes nesses locais. Por vezes o que se procura acaba por se encontrar nos locais mais estranhos. E não se esqueça, "Everybody Is Looking for Something..."

    Beijo

    ResponderEliminar
  39. que, eu diria, narrativa
    maravilhosa.
    ta ali o simples, o sentir.
    estimulante.
    e este teu nome, na medida, dá uma
    boa mistura.
    gostei muito daqui.
    beijos
    core

    ResponderEliminar

Popular Posts

Tumblr

Contact