Diário de Maria

O Health Club

junho 21, 2011Ricardo Santo


O estranho chegou ao Health Club pouco passava das 19:00h com a sua descontracção habitual, saco desportivo ao ombro e MP3 a debitar 30 Seconds to Mars nos seus ouvidos. Frequentava o pequeno espaço nos arredores de Lisboa desde o inícmio do ano somente com o intuito de manter a forma física, nunca gostou de corpos extremamente musculados ou de trabalhar muito peso. Era um espaço familiar e acolhedor, sem muita adesão e longe da habitual confusão urbana, fazia mesmo o seu estilo. Cumprimentou a nova recepcionista e algumas miúdas que aguardavam o início da aula de Boby Combat, levantou a chave do cacifo e dirigiu-se ao vestiário. No corredor não evitou o choque com Xana que saia de forma risonha e atarantada do vestiário feminino. Cruzaram olhares cúmplices por alguns segundos antes do pedido de desculpas pelo inconveniente. Xana era mulher para ter acabado de entrar na casa dos 30, à primeira vista era possuia um corpo bastante sensual, pele ainda semi bronzeada do verão, cabelo encaracolado castanho-escuro que lhe caia pelos ombros e uns apetitosos olhos esverdeados. Pelas suas contas devia andar perto de 1,65 m e apesar de já não ser uma jovem possuía um ar encantador. Consumadas as desculpas seguiu rumo ao vestiário  relembrando a altura em que a tinha conhecido. Recordava perfeitamente daquele fim de tarde em Janeiro quando tomou finalmente a iniciativa de se inscrever no Health Club. Enquanto preenchia os habituais formulários Xana entrou pela porta com toda a sua elegância, sapato de cunha bem alta, muita ganga pelo corpo e cabelo apanhado em rabo-de-cavalo. Trocaram olhares por breves instantes enquanto ela aguardava pela chave do cacifo e sentiu de imediato que se tinha vindo inscrever no local certo. Trocou rapidamente de roupa, agarrou a garrafa de água e as luvas para o treino dirigindo-se à sala cardiofitness. De imediato voltou a cruzar olhares com Xana que corria na passadeira feito louca. Era uma das suas características, em todos os exercícios a miúda dava o litro esfolando a pele naquela sala. Suava constantemente como se tivesse acabado de correr a maratona, as gotas de suor deslizavam pela sua face depositando-se na roupa justa que a acompanhava no treino. O estranho retirou o seu programa mensal e escolheu o treino que pretendia seguir naquele fim de tarde, tinha três à escolha criados especialmente para tonificar o corpo. Subiu para cima da elítica e embrenhou-se no treino.



Estava um dia calmo no Health Club com pouca ou nenhuma movimentação. Naquele final de tarde o estranho estava somente acompanhado por um par de miúdas na sala de cardiofitness, algo habitual dado o avanço da hora. Após realizar a terceira série de abdominais os seus olhos voltaram a tocar os esverdeados de Xana que se encontrava no lado oposto da sala. Xana sorriu de forma palerma desviando o olhar para baixo intimidada com a provocação. Voltou a olhar no momento seguinte e confirmou que o estranho ainda mantinha o olhar focado no seu, quis ter um buraco onde se escondesse. A tentação foi mais forte e poucos segundos depois voltou a olhar com o mesmo resultado, ele não tirava os olhos dela, arrependeu-se de imediato por ser tão curiosa. Com a pequena toalha limpou o suor do rosto, já ardia internamente, o cabrão do gajo estava mesmo a pedi-las. Com o passar dos minutos o Health Club foi perdendo clientela feminina que a pouco e pouco ia terminando o treino. Tendo finalizado o seu programa e efectuado uma boa série de alongamentos o estranho dirigiu-se ao vestiário para o merecido duche, só lhe apetecia sentir a água morna a cair sobre o corpo. Passou pela receção para levantar a chave do cacifo e observou que Xana se preparava para também ela abandonar o recinto. Sorriu-lhe e recebeu um sorriso em troca. Era sem dúvida uma mulher muito sedutora, tinha um olhar deveras cativante e possuía aquele Sex Appeal que já o estava a deixar fora de si. Entrou no corredor onde tinha sido abalroado ao início sentindo Xana a seguir-lhe os passos de forma mais acelerada não entrando na porta do vestiário feminino. O estranho aguardou uns segundos antes de abrir a porta do seu vestiário e foi de imediato assaltado. Xana pregou-lhe um beijo que o deixou completamente desorientado tal a violência da coisa. Entraram pela porta grudados um no outro como se não existisse amanhã. Os lábios quentes e suados provavam-se com sôfrego, desejosos de consumir a carne um do outro. Aos trambolhões embrenharam-se pelo vestiário deserto onde a única iluminação provinha de uma pequena janela. A luz artificial foi completamente esquecida e a possibilidade de serem apanhados aflorou ainda mais a tentação nos seus corpos. Xana encostou o estranho aos cacifos com fogosidade, tocaram-se impacientemente, ávidos de desejo, absorvendo-se mutuamente. As mãos movimentavam-se pelos cabelos suados, pelos rostos quentes e pelos corpos que escaldavam de intensidade, explorando novos horizontes. Xana retirou a t-shirt preta do estranho e num ápice viu-se ela própria sem o top vermelho vivo que colava ao corpo. Abocanhou o peito suado, cravando-lhe as unhas, arranhando-o, mordendo-lhe os mamilos, estava completamente desvairada de desejo. O estranho abraçou a parceira forçando-a a recuar em direcção à zona de duches. Entraram atabalhoadamente numa das divisões e abriu a torneira de água que começou a jorrar por cima de ambos. A água gelada fez Xana gemer ao receber o impacto sobre o seu corpo quente, o seu cabelo encaracolado ficou ensopado e o soutien de treino tornou-se de instantaneamente transparente realçando a auréola dos mamilos que forçavam a despontar. O estranho fechou a água encostando Xana à parede, com os polegares explorou os mamilos tesos em pequenos círculos, num movimento suave, assanhando-a internamente. Fez descair ambas as alças do soutien pelos braços arrepiados e num movimento hábil dobrou as copas contemplando os seios generosos da parceira.


Xana contorcia-se na parede sentindo as mãos e boca atrevida do estranho a invadirem as suas mamas. Estava inebriada num misto de emoções quentes e frias, uma luxúria tentadora, sentia-se a torrar de excitação e a tremer de frio ao mesmo tempo devido ao duche gelado. Adorava ser massajada e percorrida, sentir o deleite dos seus seios consumidos entre aqueles dedos apetecíveis, gemeu ao sentir os mamilos a serem apertados e torcidos, a água escorria dos seus cabelos pelo peito, sentiu-se a perder as forças nas pernas, fechou os olhos ao mesmo tempo que sentiu as calças e as cuecas a desaparecerem. O seu coração batia ardentemente, parecendo querer saltar do peito, antecipando a invasão do estranho dentro de ti, sentiu uma mão forte na perna que a ergueu ligeiramente no ar e uma ponta de dedos a explorarem os lábios tórridos do seu sexo, quando deu por si o seu clítoris explodia de entusiasmo. Sentiu-se possuída e abraçou o estranho com pujança, apoiando-se em volta do seu pescoço. Contorceu-se ao sentir os dedos audazes entrando e saindo dentro de si, violando a sua pequena gruta de prazer, estava abundante molhada. Apoiou a cabeça no ombro relaxando, sentindo a exaltação a crescer, aos poucos e poucos começou a perder o controlo pela respiração, passou suavemente a língua pelos lábios carnudos que se encontravam secos, a tentação aumentava a cada segundo que passava, o seu sexo latejava de anseio, estava agora desejosa de ser penetrada. Sentiu os dedos irrequietos a sair do seu interior deixando atrás de si um rasto prolongado do seu mel, o estranho aproximou-se sentindo o peito quente envolto no seu, apoiou melhor a perna suspensa no ar e sentiu o forte membro a trespassa-la numa só estocada sentida bem fundo. Abraçou o estranho com mais força tentando vencer o equilíbrio enquanto era possuída por aquele tórrido sexo de forma ritmada. Estocadas de luxúria invadiam o seu corpo sedento de conquista, os corpos molhados rapidamente se transformaram em violentos objectos de desejo. Xana contorcia-se com as guinadas que percorriam o interior do seu ser, a sua perna apoiada tremelicava, tentando fechar-se, a respiração ofegante, sentia o coração a pular de tanto prazer, não iria aguentar muito mais tempo, queria-se vir, sabia tão bem, acabou por atingir o orgasmo de forma extraordinária gemendo alto num som agudo que se prolongou por todo o vestiário. Estocada após estocada o estranho palpitava de entusiasmo, que loucura de acontecimento, sexo voraz e descabido não cabendo em si de tanto tesão. Obrigou-se a retardar o orgasmo vezes sem conta enquanto devorava o demoníaco corpo da parceira, estava agora mais suado do que quando terminou o treino, adorava uma boa aventura e um entrelaçar de corpos palpitantes. Sentiu as unhas de Xana no cimo das suas costas, rasgando a sua pele bronzeada na altura do orgasmo, contraiu os músculos e cerrou os dentes suportando a dor, como castigo pela provocação inclinou Xana ligeiramente na parede e penetrou-a até não conseguir mais. O seu membro entrava e saia de forma desmedida, num vai-e-vem de contentamento, ecoando entre gemidos e murmúrios de prazer carnal. Resistiu mais um pouco sentindo de súbito a energia do orgasmo a nascer, saiu rapidamente de dentro de Xana enquanto largava a sua perna. Xana deslizou pela parede quase sem forças ainda ofegante com o orgasmo, abocanhou o vibrante membro, escaldava como fogo, presenteou-o com algumas estocadas e sentiu o forte e delicioso jacto de deleite a fluir na sua boca, engolindo e lambendo até à última gota. Que orgasmo perfeito.

You Might Also Like

13 comentários

  1. Registo novo, denotando uma mudança de rumo, mas sempre o mesmo estilo sensualmente arrebatador. Ou será arrebatadoramente sensual?

    Apenas o título deveria ser então o Diário Erótico do Estranho...ou Maria está apenas dormente?

    Beijo desperto :)

    ResponderEliminar
  2. Tu não escreves, tu provocas orgasmos psicológicos...

    Beijo, ao estilo do estranho*

    P.S.aproveito o cantinho para deixar um beijo molhado à minha soulmate, Estrelinha, és linda!!!

    ResponderEliminar
  3. Minha querida Soulmate,

    Eu agradeço esse beijo delicioso. Estou certa de que o nosso anfitrião não se importa nada (até nos pode mudar os nomes, certo?!).

    Espero-te bem. Eu estou óptima. Melhor é impossível, mesmo! Tenho-te visitado, (diariamente, as usual), mas nem sempre comentado...fico feliz por teres ultrapassado a núvem negra...

    Beijo-te em tons de escarlate pecado e preto sedução,

    ResponderEliminar
  4. Agora sempre que for ao ginásio vai ser dificil não me lembrar deste conto, Sr. Diabinho.

    Beijo a arder.

    ResponderEliminar
  5. Um Estranho, cada vez mais reconhecível... pelo seu modus operandis, gostos e focus...

    Sentirá Maria a sua falta... ?! ;)






    Basium

    ResponderEliminar
  6. Sacana... Agora fiquei com vontade de ser possuída. lol
    Beijo

    ResponderEliminar
  7. Sinto-me bem no teu espaço...és sempre bem-vindo ao meu...instala-te e aprecia-me... Beijo

    ResponderEliminar
  8. Amei seu cantinho moço...rs
    Certamente retornarei.
    Bjlhões ;)

    ResponderEliminar
  9. Como é habitual aqui... breath taking!

    Pura magia e sedução escrita.

    Beijo levado nas palavras

    ResponderEliminar
  10. Fiquei sem fôlego!
    Como alguém disse atrás, a tua escrita provoca orgasmos psicológicos.

    Beijos

    ResponderEliminar
  11. UAuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu és maravilhoso na forma como escreve... estou cheia de tesão aqui!
    Beijos molhados, melados e quentes!

    ResponderEliminar

Popular Posts

Tumblr

Contact