Diário de Maria

O Pub

janeiro 04, 2011Ricardo Santo


O estranho abandonou o apartamento pouco antes da hora marcada, estava frio em Lisboa nos primeiros dias do ano. Algumas horas antes tinha enviado uma SMS a Maria, a mensagem foi curta e provocatória quanto baste Queres? Vem buscar… 23:00h Henessy's do Cais do Sodré. Não teve de esperar muito pela resposta, Lá estarei, prepara-te. Sempre adorou um bom jogo de sedução, uma troca de palavras ousada, aquela mistura explosiva que lhe percorria mente e o corpo em simultâneo. Maria mostrava ser uma jogadora à altura, estava a adorar a sua entrega. Apertou o fecho do casaco e acendeu um cigarro Lucky Strike enquanto se dirigia ao carro. A viagem até ao Cais do Sodré foi breve, não havia transito aquela hora da noite, possivelmente muitos ainda curavam a ressaca da passagem do ano, estacionou num pequeno parque de estacionamento localizado por detrás do pub. Na rádio passava uma música dos portugueses Blind Zero com o tema Snow Girl, adorava aquela batida. Abandonou o veículo e dirigiu-se ao local combinado sentindo a brisa do rio. Mal entrou sentiu-se de imediato invadido pelo odor característico do local, uma mistura de madeira envelhecida e cerveja. Ao contrário do habitual o local estava deserto, umas quantas figuras sentadas no balcão e um pequeno grupo bebia cerveja enquanto espreitava o ecrã gigante. Embrenhou-se no interior do espaço sentando-se no fundo, numa mesa de quatro lugares com vista para a avenida. Pouco depois foi abordado pela jovem empregada, loira, cabelo liso usando a habitual farda preta. Observou-a com mais atenção, peito médio, olhos claros e pele muito branca, usava no pulso direito uma pulseira amarela do Senhor do Bonfim da Bahia algo desgastada. A troca de olhares deixou-a desconfortável ao ponto de desviar o olhar e esboçar um leve sorriso.

- Boa noite. Quer efectuar o seu pedido?
- Sim, queria uma pint de Guinness preta.
- Com certeza, deseja mais alguma coisa?
- Para já é só.

A loira afastou-se sorrindo inocentemente e abanando as ancas de forma provocatória. Mais uma brasileira a tentar mudar de vida em Portugal. Observou a avenida, uma fila de táxis estava parada, os motoristas trocavam impressões na berma da estrada aguardando clientes. A jovem tinha regressado com a sua cerveja e desta vez foi ele a sentir-se observado por aqueles olhos claros. Deu um longo golo na Guinness enquanto a brasileira se afastava para atender outro cliente.

Foi então que viu Maria entrar com os sensuais caracóis e gabardine preta vestida. Observou-a a sondar o pub por alguns segundos, não demorou até cruzarem olhares, sorriu ligeiramente, aquele seu sorriso maroto inconfundível. Contemplo-a enquanto se dirigia para junto de si, passadas firmes e desinibidas de quem sabe perfeitamente o que quer. Recordou num flash o último encontro que tinham tido, a tórrida noite no parque de estacionamento do seu local de trabalho. Beijaram-se e trocaram palavras de circunstância enquanto Maria despia a gabardine, sentiu o calor da sua pele e o cheiro inconfundível de Trésor da Lâncome. Contemplo-a por instantes, camisa branca justa com os primeiros botões desapertados fazendo realçar o peito, a luz ambiente fazia reflectir o sensual soutien preto que se escondia no interior. Trazia uma fascinante saia preta de pregas um pouco acima dos joelhos e umas botas também pretas até meio da perna. Por cima da camisa balançava o fio de prata com o pendente de borboleta, tinha um especial apreço por aquele adereço. Tinha as unhas pintadas de um branco pérola e um ligeiro vestígio de gloss nos lábios. Livrou-se da mala e da gabardine no banco à sua frente e sentou-se a seu lado, bem junto de si. Com um sinal chamou a empregada loira e pediu um café e um copo com água. Colocaram a conversa em dia durante largos minutos, trocaram impressões sobre como tinha sido o Natal e a passagem de ano de cada um. Fizeram também uma incursão pela última noite que tinham passado juntos, abrindo o apetite para algo mais. Maria também agradeceu a sensual prenda que recebeu em sua casa, tinha adorado a lingerie. Adorava a sua companhia, era uma rapariga sedutora, cativante, desinibida mas especialmente, sabia manter o nível de uma agradável conversa. Tinha a particularidade de saber mexer com ele, provoca-lo pelas palavras e alimentar a sua mente, no fundo ambos procuravam o mesmo, aventura e sexo sem compromisso.

Durante parte da conversa Maria manteve a mão esquerda assente na perna do estranho, de início somente sentia o calor da sua mão a transpor as calças de ganga mas rapidamente percebeu que havia um segundo sentido, um início de desafio, de incitação. Sentiu a mão da companheira a navegar, movimentando-se até ao joelho e regressando calmamente ao ponto de partida, movimentos suaves de vai-e-vem enquanto lhe olhava profundamente nos olhos castanhos. Maria tinha iniciado um entretenimento perverso completamente despreocupada dos olhares indiscretos que podiam receber. O estranho observou à sua volta e notou a empregada loira atenta ao desenrolar da acção, não conseguia afastar os olhos. Rapidamente notou a respiração a acelerar, o sangue a correr velozmente pelas veias, o coração a palpitar dentro de si a cada passagem na sua perna, não bastou muito para ficar cheio de tesão. Maria percebeu pela expressão que o jogo lhe agradava, mordiscando o lábio inferior e levando a mão a descobrir o seu sexo teso e duro dentro das calças de ganga. Aproximou-se dele fazendo soltar a essência do seu perfume e segredou-lhe ao ouvido num tom extremamente sedutor, Sabes que não tenho cuecas? Quando se afastou viu um brilho intenso nos olhos dele, soltavam faíscas de contentamento enquanto lhe continuava a massajar o sexo. O estranho sorriu, estava deliciado com o desafio, com um sinal pediu a conta. A empregada aproximou-se da mesa meio a medo deixando o talão e aguardando o pagamento algo acanhada, tentando desviar o olhar. O estranho pagou com dez euros e notou as mãos da empregada a tremer ao receber a nota. Enquanto esperava pelo troco Maria terminou a provocação na sua perna, sentia-se agora completamente incendiado e tinha de apagar aquele fogo. Enquanto a companheira vestia a gabardine recebeu o troco e um olhar intenso da empregada. Saíram do pub que se preparava para fechar rumo à noite de Lisboa.

Continua

You Might Also Like

26 comentários

  1. Como eu adoro estes joguinhos em público... os toques sorrateiros, as palavras sussurradas ao ouvido... ansiosa por saber mais.

    ResponderEliminar
  2. Ele, pensava que dominava o jogo...

    Parece-me que encontrou uma adeversária à altura...

    ;)

    Aguardo o resto...

    Bjs Just

    ResponderEliminar
  3. Mas afinal de contas, este estranho queria a Maria ou a empregada loira brasileira???
    rsrsrsrs...
    Agora esta brasileira de cá está curiosa...

    Beijos meus...

    ResponderEliminar
  4. Desejo Evidente

    O Santo sabe muito bem que gostas.
    Sabe tão bem não sabe?
    Vamos jogar?

    Beijos em Público
    ;)

    ResponderEliminar
  5. Just

    Qualquer semelhança com a realidade é pura coincidência... Ou não...
    Vamos no início do conto, tenha paciência e espere pelo desenrolar dos próximos capítulos...
    Nem tudo o que parece é...

    ;)
    Beijos de Adversário

    ResponderEliminar
  6. Luna

    Obrigado por mais esta visita.
    A curiosidade matou o gato...
    Seja paciente e em breve a loira brasileira vai dar que falar...
    Mais não desvendo...
    ;)

    Beijos gulosos

    ResponderEliminar
  7. Ai ai... Que inveja dessa Maria. Ela sabe mesmo viver...rsrs. bjs querido.

    ResponderEliminar
  8. Uma mulher que sabe o que quer! Resta saber se ambos irão andar de "mãos dadas" neste jogo de pura sedução... ;)

    Gostei muito!

    ResponderEliminar
  9. O que eu adoro um bom jogo de sedução... duelo de titãs!

    Aguardo o desenrolar.
    ;)

    Beijo meu

    ResponderEliminar
  10. Gostas de um mistério ?
    Serás tu adepto do antiquissimo mas sempre presente Enigma da Esfinge?
    rsrsrrsrsrrss

    Se por um acaso eu não te decifrar será que tu me devorará ?

    ui,ui,ui...
    rsrsrsrrsrsrsrsrsrs

    Beijos cheios de curiosidade...meus...teus...

    ResponderEliminar
  11. Bem agora vou-me mesmo passar! Perdi o meu comentário! Treta!!!!

    Estava eu a escrever que não pode uma Mulher andar uns dias longe das lides blogosféricas por motivos profissionais, que, eis quando regressa, se depara com o que poderia ter sido uma história sua.

    Como já leste, esse é um jogo de sedução que adoro jogar. No poker dos sentidos, tudo vale, porque a sedução é uma arte, que poucos dominam.

    Tu e eu somos artesão dos sentidos, sem dúvida.

    A tua escrita transporta-me através do tempo e do espaço, para uma Lisboa (re)vivida, déjà-vu de aventuras escabrosas minhas!

    :)

    Vamos a jogo?

    Beijo publicamente privado,

    ResponderEliminar
  12. Delicio-me com as tuas palavras...
    Vim ao encalço delas para te saborear calmamente...

    Invado o teu espaço

    Uso os meus sentidos apurados para te sentir

    Permito-me (para começar) envolver nessa melodia que tanto gosto, e tu sabes!

    :)

    ResponderEliminar
  13. Ansiosamente à espera da continuação.

    Um blog interessántíssimo. Os textos, as escolhas das fotos... Parabéns!

    ResponderEliminar
  14. Menino! Que coisa boa esse conto, esse blog...você!
    Adorei aqui! Virei fã.
    Beijos

    ResponderEliminar
  15. Erótica.plus

    Obrigado por mais uma visita.
    A Maria é de facto uma moça desvairada e cheia de intensidade. Não tens de ter inveja da minha personagem, acredito que saibas aproveitar e gozar a vida tanto ou mais que ela...

    Beijos

    ResponderEliminar
  16. A Minha Essência

    Bem vinda a este pequeno canto.
    Espero que te identifiques com o que por aqui encontras. A minha personagem Maria definitivamente sabe o que quer, sempre soube e agora desfruta. Neste jogo de sedução haverá sempre novos desenvolvimentos e nem tudo o que parece acaba por acontecer. :)

    Espero que gostes da continuação...
    Aguardo o teu regresso.

    Beijos

    ResponderEliminar
  17. Lib

    Eu sei quanto gostas, temos gostos em comum.
    Acho que deveria ser sempre assim, um duelo de titãs, uma entrega total, uma luta intensa pelos caminhos dos sentidos.

    Espero que gostes da continuação...
    Aguardo o teu regresso.

    Beijos de Guerreiro

    ResponderEliminar
  18. Luna

    Bem vinda a este pequeno canto.
    Espero que te identifiques com o que por aqui encontras. Se bem me lembro, todas as respostas para o Enigma da Esfinge eram a mesma... O HOMEM :)

    No entanto eu não faço nenhuma pergunta como no enigma. Não tenho nada para decifrares, sou o que está à vista, só tens de saber ler as minhas palavras. Vem... Eu aguardo...

    A curiosidade matou o gato...
    Sabia?
    ;)

    Beijos Curiosos

    ResponderEliminar
  19. Vou protestar...e eu, não tenho resposta?

    Ou faz parte da provocação do duelo de Titãs?

    É que se assim for...

    "On Garde!"

    Beijo de Mosqueteira,

    ResponderEliminar
  20. Star

    Tão dramática...
    Foi somente um comentário que morreu no ciberspaço...
    Não stress por tão pouco minha querida...

    Poderia perfeitamente ter sido uma história tua, mas, sabes que não seria a mesma coisa. Concordo e identifico-me com as tuas palavras sobre o jogo de sedução, é uma arte, nasce connosco e quem o sabe usa-la possui uma óptima arma.

    Leio-te atentamente e sei que somos manipuladores dos sentidos. Se vamos a jogo? Então mas já não estamos a jogar?

    Beijo provocador

    ResponderEliminar
  21. Querida FI

    Tens permissão para invadir todos os meus recantos. Sabes bem que adoro sentir a tua presença por estes lados. Ainda bem que te perdeste nas minhas palavras.

    Apura esses sentidos
    Aguardo o teu regresso
    Beijo-te

    ResponderEliminar
  22. SecretW

    Bem vinda a este pequeno canto.
    Espero que te identifiques com o que por aqui encontras. Obrigado pelas palavras carinhosas, fico feliz por te sentires bem aqui.

    A continuação já publicada.
    Espero que gostes...

    Beijo

    ResponderEliminar
  23. LadySiri

    Obrigado pela tua visita.
    Agradeço o carinho e fico contente por gostares deste pequeno local.

    Espero que possas regressar em breve.
    Beijos

    ResponderEliminar
  24. Star

    Claro que tenho sempre tempo para ti, nem devias colocar isso em causa. Simplesmente tive de me ausentar para almoço e não houve oportunidade de responder a todos os comentários...

    Vê como a resposta é simples?
    Sabe que tudo na vida tem um porque...

    Beijos Provocatórios

    ResponderEliminar
  25. Claro que sei...mas sabes que tenho uma profusão de "is" na minha essência: Intensa, Irreverente, Impossível..e

    IMPACIENTE!

    A jogo? Achas que estamos a jogar?

    Pensei que era apenas um warm up...

    Beijo sem mapa :)

    ResponderEliminar
  26. Querida Star

    A impaciência é inimiga da perfeição.
    Consome-te por dentro, estrangula os teus sentidos.

    Gosto deste (Warm Up)
    ;)

    Beijo Meu

    ResponderEliminar

Popular Posts

Tumblr

Contact