Diário de Maria

A Noite

janeiro 11, 2011Ricardo Santo


Abandonaram o pub emergindo na noite de Lisboa. A brisa do rio tinha trazido um leve nevoeiro que despontava na zona do Cais do Sodré. O estranho puxou de um Lucky Strike acedendo-o enquanto caminhavam em direcção ao seu carro que se encontrava a poucos metros. Olhou intensamente nos olhos de Maria perdendo-se de imediato no tom castanho-escuro que encontrou. Era intenso, provocante, irradiava um magnetismo indescritível que o seduzia, sentia-se bem na sua companhia. Identificou um leve sorriso na companheira, não necessitou de palavras para ler o seu pensamento, estava desejosa. Observou o pub pela última vez esbarrando o olhar na empregada loira que os tinha atendido, espiava pela janela, sentiu-se intrigado com a situação. Era comum trocar olhares, adorava a provocação de um bom olhar, aquele estudo mútuo, o jogo de resistência até alguém ceder mas sabia identificar quando a situação era diferente, verdadeiramente algo se passava. Abraçou Maria que tremia de frio agarrada à sua gabardine. Quero que me aqueças imediatamente, disparou num tom forte e decidido, o estranho sorriu e aguentou a provocação não respondendo, limitando-se a abraça-la até chegarem ao carro.

Maria entrou automaticamente para o banco traseiro enquanto o estranho invadiu o lugar do condutor. Debaixo do banco retirou uma pequena caixa com cd’s e introduziu um deles na ranhura do leitor. Quase de imediato a voz de David Gahan fez-se ouvir nas colunas iniciando o tema Enjoy the Silence. Antes de sair do carro puxou o banco à frente e observou as redondezas, ao longe identificou um vulto loiro junto ao pub, juntou-se a Maria no banco traseiro. Ao entrar clicou num botão a meio, trancando o veículo. Maria já estava sem gabardine e atacou-o de imediato saltando para cima dele. O estranho nem teve tempo de reacção sentindo-se de imediato invadido pela boca da companheira. Beijaram-se ofegantemente ao som dos Depeche Mode, o desejo tinha-se instalado e não conseguiam desgrudar um do outro. A envolvência de lábios, línguas e saliva aumentou de imediato a temperatura do seu corpo, o coração batia agora mais intensamente, Maria era uma provocadora nata e beijava divinalmente. Perdeu-se alguns minutos naquele encantamento, fechou os olhos e deixou-se ir, saboreando a parceira e sentindo o seu odor, perfume e essência. Sentada em cima de si Maria começava a entrar em transe retirando os primeiros botões da camisa branca. O estranho aproveitou o momento para levar a mão debaixo da saia de pregas, ficando imediatamente com os dedos molhados. A gruta de Maria pingava de entusiasmo, estava completamente inundada. Conduziu sabiamente dois dedos pelos lábios até invadir a parceira que soltou um gemido rasgado ao sentiu o choque eléctrico que percorreu o seu corpo. Em resposta Maria beijo-o e apertou-lhe o sexo por cima das calças de ganga, estava duro e completamente incendiado de tesão, começou a retirar o cinto. O estranho retirou a mão do interior e levou os dedos lambuzados à boca de Maria que provou e lambeu o seu suco, chupando os dedos vigorosamente enquanto lhe desapertava os botões das calças e invadia os seus boxers. Com um leve jogo de dedos o estranho fez soltar o soutien que caiu sendo de imediato invadido pelos seios volumosos. Massajou-os de forma habilidosa com as suas mãos, apertando-os e guiando-os à sua boca sedenta. Deliciou-se com os mamilos tesos e firmes que lhe feriam o olhar como duas setas, usou o seu jogo de língua efectuando pequenos círculos em volta, excitando, provocando ainda mais, chupou de forma graciosa, lambuzando-lhe as mamas por completo quando já sentia o seu sexo cá fora sendo massajado. Fez força nas pernas e puxou as calças e os boxers ao mesmo tempo para debaixo das pernas, sentia-se fora de controlo. Com os vidros já completamente embaciados Maria sentou-se no sexo do estranho que entrou em si numa só estocada, bem fundo. Maria abraçou-o com força e cavalgou de forma desenfreada no parceiro que lhe apertava as nádegas. Estocadas violentas, fortes e decididas, um desejo carnal e animal, envolvidas com gemidos arquejantes de ambos os lados. Os corpos começavam a suar deliciados de prazer. O estranho aumentou a velocidade, penetrando o mais fundo possível, um ritmo desvairado, que fez a companheira vibrar. Não me vou aguentar, vou-me vir, pronunciou Maria soluçando ao seu ouvido enquanto o agarrava pelo pescoço de forma bruta. Não, ainda não está na hora. Não quero que te venhas, pronunciou sussurrando, Vais ter de aguentar. Maria largou então o pescoço, cravando as unhas nos bancos traseiros e abrandando o ritmo aos poucos, tentando controlar a respiração. O estranho aproveitou para a abraçar roçando as suas unhas ao longo das costas de Maria que soltou grito rouco. O seu coração batia de forma irregular. Lentamente deslizou a mão direita pelas nádegas rumo à gruta de prazer da parceira. Entranhou um primeiro dedo entre os dois sexos e um segundo no rabo fazendo Maria deplorar e contorcer-se. Agora sim, vamos até ao limite, anda comigo. Maria regressou à cavalgada aos poucos até atingir a velocidade de cruzeiro, estava completamente inebriada pela situação. A cadência aumentava a cada segundo, estocadas ritmadas, um vai-e-vem luxurioso de corpos suados. Maria fodia como se não houvesse amanhã, saltando em cima do estranho de forma violenta até não aguentar mais, estava desvairada, completamente fora de si e veio-se soltando um grito que se ouviu por toda a redondeza ao mesmo tempo que o estranho a acompanhava, vindo-se em conjunto.

Maria desabou sobre si, perdendo completamente as forças e tremendo por todos os lados. Espasmos violentos invadiam as suas pernas enquanto o estranho tentava restabelecer a respiração. Maria abraçou-o de forma carinhosa e deixou-se ficar por vários minutos no silêncio, sentindo a respiração e odor do parceiro. Acabou por sair de cima dele e sentar-se no banco, quase desfalecendo, fechando os olhos e deliciando-se por momentos. De repente alguém bate no vidro do carro, pancadas secas que despertam o casal. Quem seria? Polícia? Maria tapou-se de imediato com a gabardine enquanto o estranho puxou as calças para cima e clicou no botão para fazer abrir o vidro. Uma figura conhecida apareceu a espreitar, a empregada loira do pub.

- Há lugar para mais um?

Maria olhou para o estranho e trocaram um sorriso maroto, comprometedor, não eram necessárias palavras. A ideia agradou de imediato a ambos.

Continua...

You Might Also Like

26 comentários

  1. Bom dia, S.

    Tens mesmo jeito para a escrita. De onde vem a inspiração?

    ResponderEliminar
  2. Adorei a descrição. Again...levou-me a umas semanas (não muitas) atrás.

    Existem momentos de sexo sublimes, daqueles em que ficamos doridos de prazer, a latejar de cansaço, mas pulsantes de vida.

    Adorei a escrita e, embora com protesto meu (em baixo), amei a provocação.

    Beijo de uma só estocada ;)

    ResponderEliminar
  3. Balada

    Obrigado pela tua visita a este meu pequeno mundo.
    Agradeço o carinho e adorei que te tivesses perdido nas minhas palavras e na vida das minhas personagens.

    Quanto à inspiração não te consigo dar uma resposta merecida. Não o seu explicar por palavras, está cá dentro, a minha mente voa trazendo-me alimento a toda a hora, faz parte de mim, da minha essência.

    Se me leres nas entrelinhas talvez encontres a resposta...
    ;)

    Beijos Inspiradores

    ResponderEliminar
  4. Star

    Bem vinda de volta minha querida.
    Sabes que adoro receber a tua visita.
    Adoro transportar-te no tempo dentro das minhas palavras, (re)visitar locais por ti conhecidos.

    A Maria esteve processa nesta última aventura, ficou dorida de prazer até não aguentar mais. Estava mesmo a precisar...

    ;)

    Beijos Escondidos

    ResponderEliminar
  5. Gosto da tua Maria, livre e provocadora. Gosto da tua escrita, inspira me sensações , desejos

    Beijos da rainha

    ResponderEliminar
  6. Adoro as forma como descreves sensações... momentos...

    Adorei o twist final...

    ;)

    Bjs Just

    ResponderEliminar
  7. Ah... a história é deliciosa mas esse final é qualquer coisa... adoro.

    ResponderEliminar
  8. Merda! Os meus comentários perdem-se neste antro de pecado! Vou tentar reescrever o que tinha escrito.

    A Maria é uma sortuda.

    Porque encontrar um Homem que sabe como cansar uma Mulher é sublime. Aquelas noites de sexo pleno de nexo, em que todo o corpo fica dorido da intensidade dos orgasmos, esparramado pelo cansaço, mas pulsante de Vida, são sublimes.

    Quando se encontra um Estranho assim, um corpo de Adónis que nos leva ao Nirvana, estamos perante uma Homem que jamais esqueceremos.

    Parece-me que a Maria - QUE ESTAVA MESMO A PRECISAR - foi tocada por essa felicidade...

    Beijo sem mapa,

    ;)

    ResponderEliminar
  9. Querido Santo,

    Essa Maria é uma danada e decidida.
    Sorte para ela e para o tal desconhecido,mulheres assim tem um Que a mais que os leva á loucura.
    Mas o que mais me chama a atenção em teus relatos é a riqueza de detalhes, fica de um tesão dilacerante.
    Tenho também algumas coisas em comum com o Desconhecido, fumamos a mesma marca de cigarros e eu amo de paixão Depeche Mode, principalmente Strange Love, rsrsrrs...

    Lindo texto, linda imagem , lindo blog...

    Beijos meus para ti...

    ResponderEliminar
  10. Ai os pormenores... perco-me (por) (n)eles!

    Que dizer?! AQUELE pormenor... tomou-me! ;)










    Basium

    ResponderEliminar
  11. Olha que dois! ;)
    Ah, espera! Provavelmente serão três...
    Grand finale!

    Aguardo(com calma) a continuação...

    ResponderEliminar
  12. Bom dia, Santo.

    Aqui entre nós, não tenho jeitinho nenhum para ler nas entrelinhas, jogos de palavras, enigmas, palavras cruzadas, o que seja... Gosto de uma linguagem simples e clara, em que se entenda logo à primeira o real significado das palavras.

    Mas andarei por aqui e pode ser que eu mesma consiga responder à questão ;)

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  13. Rainha

    O intuito do meu pequeno espaço é exactamente esse, transmitir sensações, desejos ou fantasias para esse lado, se conseguir mexer com o leitor(a) e fazê-lo navegar nas minhas personagens é porque o objectivo do conto foi atingido.

    Nem sempre é fácil inspirar quem nos lê.
    Beijos Meus

    ResponderEliminar
  14. Just

    Obrigado pelas palavras carinhosas.
    Sabes que gosto de um feedback positivo de quem me gosta de seguir de perto.

    A reviravolta final foi algo de transcendente, quando me invadiu esse devaneio até eu próprio fiquei empolgado com o súbito desenvolvimento da fantasia.

    Beijos ansiosos

    ResponderEliminar
  15. Desejo Evidente

    Obrigado pela tua visita a este cantinho.
    Ainda bem que te envolveste uma vez mais nas minhas palavras, eu que tanto ADORO navegar pelas tuas.

    Tenho de reconhecer que esta história/conto se aproxima muito da realidade, que os leitores possivelmente já experimentaram tal situação, penso que dai nasce o facto de o feedback estar a ser delicioso.

    Beijos Adorados

    ResponderEliminar
  16. Querida Star

    Uma vez é azar, duas vezes é perseguição...
    De certeza que o meu DIABO anda a fazer das suas quando invades a minha casa de pecado.

    A Maria procura a sua sorte, não espera que ela apareça caída das estrelas. Antes arrependida por algo que se fez do que arrependida por algo que nunca se tentou, é um dos lemas que utilizo na minha vida e nesta personagem em concreto.

    Beijo de GPS

    P.S. Larga o mapa

    ResponderEliminar
  17. Luna

    A Maria é de facto qualquer coisa, fico contente por saber que te perdes nas minhas palavras e te deixas ir ao sabor da corrente. Transportada para o interior das minhas fantasias.

    Os detalhes são uma coisa muito pessoal, muito minha, algo que me diz muito internamente. Confesso que não sou apreciador do conjunto, vou mais longe, entrego-me ao nível do detalhe, do que faz a diferença e isso sim é delicioso.

    Aguardo o teu regresso...

    Beijo de Strange Love

    ResponderEliminar
  18. Querida Venus

    Obrigado a tua passagem por aqui.
    Adoro que invadas o meu pequeno espaço de luxuria porque eu também AMO perder-me no teu.
    O pormenor é tudo, o detalhe é a água na boca que sacia a minha sede. É o meu alimento secreto.

    Confessas o pormenor?
    ;)

    Beijos detalhados

    ResponderEliminar
  19. Nikita

    Obrigado pela tua visita a este meu canto.
    Todos nós necessitamos de fantasias, de jogos de sedução, de inspirações, de algo que apimente uma relação e a faça sair da rotina/monotonia.

    Tento a cada conto transmitir algo para quem está desse lado, para te identificares com as minhas palavras, navegar nas ideias da minha mente e nas personagens que apresento.

    Deixa-te levar e inspira-te...
    Aguardo o teu regresso...
    ;)

    Beijo Inspirado

    ResponderEliminar
  20. Balada

    Era tão chato se todos fossemos iguais e gostássemos do mesmo. Considero-te inteligente o suficiente para saberes identificar traços da minha personalidade e de onde pode vir a inspiração, nem necessitas de ler nas entrelinhas, está tudo ai à vista, espalhado por todas as minhas personagens.

    Não sou nenhuma delas, sou elas todas.
    A inspiração consome-me por completo.
    O DIABO no corpo faz o resto...
    ;)

    Beijos Inspirados

    ResponderEliminar
  21. Já larguei, há muito...

    "Closer"

    Beijo, à flor da (minha) pele

    ResponderEliminar
  22. Adrenalin

    Obrigado pela visita.
    Um verdadeiro final à altura para mais um conto.
    Uma reviravolta pouco esperada e que ainda vai dar muito que falar.

    Três nunca é demais e foi a conta que Deus fez...

    Aguarda (com calma) pelo desenrolar dos acontecimentos...

    Beijo Calmo

    ResponderEliminar
  23. P.S. Como sabes, assino em alguns (pouquíssimos) blogs: Madalena, jamais arrependida...

    Tanto em comum o Estranho e a Estrela...

    :)

    ResponderEliminar
  24. Tenho a confessar-te que já vivi uma situação idêntica, num carro inicialmente espaçoso e confortável que de repente se transformou num espaço minúsculo!

    Mas soube-me terrivelmente bem! Ainda hoje recordo essa situação caricata com um prazer enorme!

    Tenho que um dia destes experimentar algo do género ao som dos Depeche Mode :)

    Tu sabes!

    Beiju-t como mereces ***

    ResponderEliminar
  25. És um mestre na descrição, nos pormenores e um bom conhecedor do intimo da mulher não é muito comum num homem

    beijinho

    ResponderEliminar

Popular Posts

Tumblr

Contact