Diário de Maria

O Desejo

dezembro 09, 2010Ricardo Santo


Maria suspirou ao olhar para o livro de anatomia, estava completamente farta de estudar para a disciplina e só lhe apetecia sair daquele quarto. Sandra à sua frente lia em voz alta um trecho, tentando assimilar alguma matéria, o exame do dia seguinte não ia ser fácil para nenhuma das amigas que se tinham juntado naquele final de dia para estudar. Maria aproveitou para observar a colega com mais atenção, tinha a mesma idade que ela mas parecia mais velha, tinha umas feições bonitas e apesar de ter uns quilinhos a mais era sensual o quanto bastasse. Sandra tinha cabelos compridos muito pretos, lisos que lhe escorriam pelos ombros e tinha uma pequena tatuagem por debaixo da orelha esquerda, um símbolo chinês. Não usava brincos, pulseiras ou anéis, não era muito dada a bijuterias ou qualquer outro tipo de adornos, em conversas entre amigos referia sempre em ar de gozo que gostava das coisas ao natural. As suas unhas também não apresentavam qualquer vestígio de verniz, parecia alérgica a tudo o que normalmente uma mulher gosta. Sandra levantou-se da mesa pegando no livro e começou a vaguear pelo quarto enquanto lia para si. Calçava uns ténis All-Star da Converse todos brancos e meio encardidos, trazia umas calças de ganga claras, muito justas nas pernas e sem cinto, o que lhe fazia sobressair a cueca cor-de-rosa que usava naquele dia. Maria tremelicou um pouco ao notar a ponta da cueca a sair das calças. Na parte de cima Sandra usava uma camisola branca de malha muito fina que lhe fazia sobressair o soutien todo preto no seu interior, tinha um peito generoso, a rapariga sem dúvida que gostava de provocar mas, à sua maneira. Sandra deitou-se na cama de barriga para baixo continuando a ler enquanto Maria a contemplava, recordando os acontecimentos da noite anterior no cinema. A sua memória foi invadida pela tórrida cena de sexo protagonizada pela amiga e o namorado, despreocupados, a consumirem-se na última fila. Maria visualizava perfeitamente o rosto de contentação da amiga enquanto esta cavalgava o namorado, um sorriso maroto estampou-se no seu rosto.

Observando Sandra deitada na cama Maria fechou os olhos, sentindo-se por momentos transportada para dentro da sua imaginação, remetida para o interior das suas fantasias. Imaginou Sandra totalmente deitada em cima da cama olhando provocatoriamente para ela. Maria respondeu ao olhar com um deitar de língua para fora, provocando a amiga. Sandra aninhou-se na cama e começou a desapertar um por um os botões das suas calças de ganga, três ao todo. Levantou as pernas bem no ar e fê-las sair do seu rabo com destreza deixando-as depois deslizar até aos joelhos. Chamou a amiga para perto de si. Maria aproximou-se e ajoelhou-se perto da cama de frente para Sandra, pegou primeiro no ténis direito e desapertou o All-Star, fazendo o mesmo processo ao ténis do lado esquerdo, o par ficou caído pelo chão. Sandra aproveitou para levar uma mão a roçar a sua cueca cor-de-rosa enquanto olhava bem nos olhos da companheira, provocando-a e iniciando um jogo de sedução com o olhar. Maria retirou-lhe as calças e as pequenas meias que trazia espalhando tudo pelo chão. Começou por massajar os pés da amiga, percorrendo os seus dedos ao longo do pequeno pé. Apertando a planta, dobrando os dedos, vagando por cada saliência, primeiro um, depois o outro, mimando Sandra aos poucos e poucos. Sandra continuava a acariciar-se já tendo subido a camisola e invadindo a sua barriga com uma das mãos. Maria puxou-a então para o fim da cama, ficando com as pernas à sua mercê. Perdeu-se no meio delas com beijos demorados e fez uso da sua língua para navegar pela pele clara da amiga, tinha a depilação em dia o que aumentava a intensidade do toque. As suas mãos acompanhavam a dança dos lábios, subindo e descendo nas coxas cheias, massajando com a ponta dos dedos, cravando as suas unhas ao de leve, estimulando Sandra que já tinha fechado os olhos e deitado os braços para cima da cabeça, submissa. Maria sentiu o odor da fêmea quando se aproximou do seu sexo, era algo diferente do seu mas muito característico, levou dois dedos ao topo da cueca massajando suavemente a área sobre os lábios, sentiu de imediato a cueca a encharcar no local, Sandra estava completamente inundada. Levou então a sua boca sorrateiramente à cueca, pressionando-a com a língua, fazendo-a percorrer caminhos conhecidos. Ouviu Sandra gemer baixinho ao sentir o tecido a raspar contra as paredes do seu sexo, aproveitou para atacar a zona do clítoris com pequenos movimentos circulantes em volta, o tecido raspava a pequena saliência que fervia de excitação. Maria decidiu aproveitar as mãos livres, juntando a cueca ao centro ficando esta parecida com um pequeno fio onde de cada lado surgia um lábio externo, tinha o tecido todo dentro dos lábios, roçando agora o pequeno canal rosado. Delicadamente Maria fez mover o tecido para cima e para baixo, roçando a peça íntima no meio do sexo da amiga que automaticamente se começou a contorcer na cama. Subia e descia num movimento contínuo, repetitivo e de forma bem controlada para proporcionar o máximo de prazer à companheira que já se tinha incendiado, Maria adorava provocar. Em seguida subiu um pouco a cueca e fez o mesmo procedimento inverso na zona clítoriana, movimentos horizontais da esquerda para a direita e vice-versa, batendo suavemente com o tecido no clítoris de Sandra que já agarrava fortemente o edredão da cama. Era agora perfeitamente audíveis os gemidos e a respiração ofegante da amiga que não cabia em si de tão excitada. Maria resolveu terminar com a agonia afastando um pouco a cueca para o lado, colocando à vista o teso e agitado clítoris. Atacou de imediato a pequena saliência com os seus lábios, sorvendo-o e perdendo-se nele com a sua língua. Sandra agarrou-lhe de imediato os cabelos de Maria com uma mão, apertando e cravando as suas unhas no meio dos seus caracóis, contorcendo-se como se não houvesse amanhã, estava à beira do orgasmo. Maria não se fez rogada e ofereceu à amiga um aprazível e prolongado momento de sexo oral. Sandra de tão excitada que estava, levava as suas pernas a bater contra a sua cabeça, não conseguindo ter controlo sobre as mesmas. Maria deleitou-se no pequeno ponto de prazer por mais alguns minutos até Sandra se vir na sua boca, produzindo um gemido perceptível, contraindo todo o seu corpo em sucessivas convulsões, sentindo o calor a percorrer o interior de todas as suas veias.

Continua...

You Might Also Like

7 comentários

  1. Menina S

    Minha confidente adorada.
    Desta vez não necessitas de escrever mais palavras
    Estas chegam
    ;)

    Spicy Kisses

    ResponderEliminar
  2. Ai sou tão dah que me eskeci de subscrever comentários e só hoje vi o que escreveste xD
    Tua confidente adorada... Gostei da coisa
    Eu não preciso de escrever mais palavras, mas bem sabes que vou escrevendo.. algumas... para ti

    Sweet kiss

    ResponderEliminar
  3. É meu caro... Posso dizer que essa Maria sabe viver..rs. Sigo-te, com um quase orgasmo de tanto prazer. bjs. Obrigada por teu carinho em meu espaço. Volte sempre. Eu voltarei..rs.

    ResponderEliminar
  4. Menina S

    Minha confidente adorada :)
    Sabes bem que sim...

    Sweet Kiss para ti também

    ResponderEliminar
  5. Cara Erótica.plus

    Obrigado pela tua visita, espero que gostes do que encontres neste pequeno canto.
    A Maria é de facto uma garota interessante, obrigado por me seguir, continue acompanhando.

    Beijos

    ResponderEliminar
  6. Oi!
    Obrigada pela tua visita. Gostei do teu blog, vou segui-lo. Te peço apenas, que siga o Blog da Helena (http://helenatl1.blogspot.com), que é o blog onde faço as postagens mais atuais, o Blog da Lena (http://leninhalopez.blogspot.com) por enquanto, está servindo somente para backup.
    Feliz Ano Novo!
    BJOS
    Lena

    ResponderEliminar

Popular Posts

Tumblr

Contact