Diário de Maria

A Entrega

dezembro 17, 2010Ricardo Santo


 O desconhecido aproximou-se, respondendo ao chamamento de Maria. Admirou-a agachada daquela forma, encostada a parede roçando as costas num movimento provocante. A venda a cobria-lhe os olhos e dos seus cabelos escorria água que lhe inundava o peito. Deliciava-se no momento, tocando-se, suplicando pela presença dele. Aproximou-se de forma silenciosa aguardando que o seu perfume despertasse a companheira do transe em que se encontrava, aguardou até Maria sentir a sua presença, agachou-se junto dela murmurando-lhe, Queres-me? Maria ouviu a palavra e estremeceu por dentro, estava completamente absorvida pelo jogo de sedução em que se encontrava, mexia por demais com ela, sentia-se impotente face ao rolar dos acontecimentos, encontrava-se perdida. Sim quero-te… muito… acabou por responder a medo. O estranho levantou-se e sentiu as mãos molhadas de Maria a invadirem-lhe as pernas, subindo até ao seu sexo, estava cheio de tesão quando sentiu as mãos a conquistarem o seu membro, nem os boxers conseguiam esconder tanto contentamento. A companheira retirou-lhe o cinto com destreza, removendo-o por completo e levando-o à boca, mordendo-o e cerrando os seus dentes no couro, estava possessa e aquela visão excitou-o ainda mais. Sentiu os botões das calças de ganga a serem abertos, um por um, lentamente, o seu corpo ateava fogo a cada segundo que passava. Num piscar de olhos tinha as calças pelos joelhos e sentiu a água quente a trespassar os pêlos das pernas. Maria massajava-lhe coxas e os músculos, apertando-lhe as nádegas torneadas. Sentiu uma primeira mão a envolver-lhe o sexo, abrindo caminho para a outra, fechou os olhos e deixou-se embalar pelas mãos da companheira, sentia-se no céu. Enquanto uma contornava o seu membro, a outra navegava na sua barriga, molhando-o, percorrendo o umbigo e a zona abdominal. Sentiu uma mistura de dor e prazer quando experimentou unhas a rasgarem a sua pele, os arranhões iam deixar marca, mas não se importava pois merecia o castigo. 

Sentiu a língua da companheira pela primeira vez na noite, percorrendo o contorno dos boxers de lado a lado, lentamente, lambendo-lhe a cintura ao mesmo tempo que sentia a roupa interior a desaparecer entre as pernas. Contorceu-se quando foi invadido pelas mãos da companheira novamente no seu sexo, sentindo o toque molhado das mãos a envolve-lo de forma delicada, percorrendo a ínfima camada de pêlos que tinham acabado de iniciar o crescimento. Saboreou as estocadas fortes que a companheira lhe presenteou, de forma voraz e sabida, até que gemeu baixinho ao sentir o calor da língua alheia a atacar a ponta do seu sexo. Lambidelas pequenas, como que brincando com ele, provocando-o magistralmente, saboreando cada pedaço, cada saliência enquanto massajava nas suas bolas num jogo de dedos. Não era circuncidado e sentia a língua a percorrer a pele do seu membro teso, tocando na pequena fenda, beijando-o, enchendo-o de luxúria. Após a língua sentiu os lábios da companheira a sugarem, devorando-o de forma felina, fazendo-o aparecer e desaparecer no seu interior. Rejubilou intensamente, estava arrebatado e começou a contorcer-se devido ao prazer que alcançava, que fellatio maravilhoso. Ardia por dentro e começou a ofegar, tinha de pôr cobro à situação para evitar males maiores. Cheio de tesão agarrou os caracóis molhados de Maria, acompanhando aquele vai vem de prazer durante alguns segundos, para trás e para a frente, sentindo os lábios quentes a deslizarem pelo seu membro, até a puxar para cima. Maria subiu na direcção do desconhecido, beijou-lhe os abdominais, com as mãos lambeu a saliva que lhe escorria pelos lábios, estava completamente lambuzada e excitada. Os seus lábios procuraram os dela, não se conseguia conter, necessitava de acalmar o fogo dentro de si, beijo-a ardentemente, apertando-lhe os cabelos, mergulhando nos seus lábios, provando o sabor da sua língua, percorrendo-a como se não houvesse amanhã. Chupou-lhe os lábios e toda a saliva que brotava da sua boca, lambuzando-se enquanto sentia a companheira a agarrar a sua t-shirt, prestes a rasga-la de excitação. O estranho virou-a, agarrando-lhe o peito firme, trazendo-a de costas contra o seu peito. Sentiu o rabo molhado no seu sexo ao mesmo tempo que brincava com os seios da companheira, invadiu-lhe o pescoço com chupadelas prolongadas, beijos molhados e pequenas dentadas nos ombros. Atacou a orelha direita com a sua língua saboreando-a ao mesmo tempo que as suas mãos se perdiam nos seios, navegando com os nós dos dedos pelos mamilos erectos e excitados da parceira, sentindo-a ofegante, vibrando no interior. Colocou-lhe uma mão nas costas, curvando-a ligeiramente, levando Maria a apoiar-se de braços abertos na parede de água abrindo ligeiramente as pernas, estava pronta para o receber. Desviou um pouco a renda do corpete, afastou uma das nádegas com a mão e penetrou-a por trás, de uma estocada só. O sexo da parceira estava completamente encharcado e o seu membro deslizou sem dificuldade até ao fundo como faca quente em manteiga, sem forçar, uma penetração rápida que fez Maria gemer de prazer. Presenteou a parceira com o habitual vai vem de prazer, ganhando força com o balançar das ancas enquanto agarrava Maria. Penetrava-a com agilidade, num ritmo certo, fazendo bater o seu corpo nas nádegas, saboreando o momento. Fazia aparecer e desaparecer o seu sexo duro no aconchego da parceira que ofegava junto da parede, pedindo-lhe que não parasse. Com descrição desceu a sua mão esquerda e com o polegar invadiu-lhe o rabo de forma gentil, primeiro mexendo na entrada de forma provocatória, em pequenos círculos, penetrando depois o interior, trespassando a parceira que rejubilava de tesão. Tentava controlar a respiração, aguentando o orgasmo, sentia-se endiabrado e prestes a explodir como um vulcão. Maria forçava o corpo a embater contra o membro erecto, ajudando a penetrar o mais fundo que conseguisse dentro do seu corpo, sentiu uma palmada no rabo, bem assente na nádega direita, depois outra mais forte e ainda uma outra que lhe fez gritar de intensidade ao ponto de começar a tremer das pernas. Maria pediu então para parar, não se queria vir já, não naquela posição, os seus músculos das pernas estavam a ceder e sentiu o companheiro a abrandar o ritmo, penetrando-a mais lentamente até este sair de dentro de si, deixando um vazio. Deixou ficar na parede durante uns segundos, recompondo a respiração, bebendo água que escorria da parede, isto não ia ficar por aqui. Voltou-se ainda com a respiração acelerada, procurou na escuridão o corpo do estranho, empurrando-o para trás, segredando-lhe anda, quero-te na cadeira, agora é a minha vez de te foder. Estava farta de ser submissa naquele jogo, estava na hora de arrebitar, agora ia ser à sua maneira.

Fez o estranho retroceder até à cadeira obrigando-o a sentar. Subiu para cima dele abrindo bem as pernas, sentando-se no seu sexo. Brincou com ele durante alguns segundos, para a frente e para trás, provocando-o, sentindo o membro e as bolas a roçarem nos lábios do seu sexo, mexeu as ancas entretendo-se com ele, apimentando o jogo. Elevou-se um pouco, fazendo bater as suas mamas na boca do desconhecido que as tentou sugar, levou uma mão atrás das costas pegando-lhe no membro teso colocando-o em posição, fez pontaria ao rabo, baixou-se lentamente até sentir a ponta encostada no seu buraco lambuzado, questionou o desconhecido perguntando-lhe queres aqui? Enquanto o seu rabo dançava ligeiramente sobre o sexo, excitando-o. A resposta veio em forma de pequeno murmúrio, um quero cheio de intensidade, a atitude que esperava do gajo. O troco apareceu de imediato, Maria fez descair o membro ligeiramente e enterrou-o no seu sexo de forma intensa sussurrando-lhe ao ouvido queres mas só vais ter quando EU quiser. Cavalgou o parceiro durante alguns minutos, estocadas ritmadas cuja veemência lhe percorria todas as veias do corpo, abraçou-o: naquela noite era seu, sentindo o prazer a crescer dentro de si. Ofegavam conjuntamente naquele abraço enérgico, os corpos transpiravam odores que se misturavam com perfume, sentia as mãos fortes do estranho a segurarem as nádegas, os seus seios, os caracóis, um turbilhão de prazeres. No escuro procurou a sua boca, beijando-lhe o cabelo curto que suava, os olhos, a face, até o puxar para si e deleitar-se novamente com seu sabor dos seus lábios. Estava encantada com aquela força da natureza e queria aproveitar ao máximo cada segundo. Deleitou-se com a sua língua enquanto o fodia, sentindo a sua respiração a invadir a sua num completo devaneio. Abrandou o ritmo por uns segundos deixando prolongar o prazer, sentindo o membro erecto dentro do seu corpo, arfavam em conjunto. Mas rapidamente o vai vem recomeçou, primeiro uma estocada, depois outra e mais outra, aumentando a intensidade da cavalgada, tão descontrolada que a cadeira de madeira rangia e ameaçava quebrar a cada assalto, como tivesse prestes a desmanchar-se. Não se importou, entregou-se por completo, aumentando o ritmo das ancas, o coração batia desenfreadamente enquanto se agarrava com unhas e dentes ao pescoço do desconhecido que a trespassava fortemente. Deliciava-se a cada penetração, queria mais, ofegava de boca aberta, gemia sedenta, contorcendo os músculos em choques vibrantes até não suportar mais, sentia um calor abrasador a emanar do interior do seu corpo. Não conseguiu conter a exuberância e deleitou-se numa onda de prazer quase ao mesmo tempo que o estranho também se vinha. Ondas de prazer percorreram as suas veias incendiando-a enquanto se contorcia, espasmos de prazer brotavam do seu corpo, contorcia-se e gritava sem controlo. Deitou a sua cabeça no ombro do estranho enquanto o abraçava, repousando, saboreando o momento enquanto recuperava a respiração. O seu olfacto foi invadido por suor e perfume que se entranhou dentro de si. Estava no céu.

Fim

You Might Also Like

23 comentários

  1. Dar e receber... dominar e ser dominada... o sexo devia sere sempre assim, um jogo, um confronto entre duas pessoas que se querem e lutam por se encher de prazer.

    ResponderEliminar
  2. Adorei a leitura ...e a recuperar o folêgo, e a beber um pouquito de água...
    ;)

    Deixo ....
    Sweet Kiss

    ResponderEliminar
  3. Meu querido D

    Superaste todas as expectativas neste conto, e sabes bem disso ;)
    Foste arrojado, quente, excitante, simplesmente delicioso e apetitoso...

    Adorei este conto por vários motivos, um dos quais foram as sensações que me transmitiste, os arrepios que me provocaste com cada palavra... com cada descrição pormonorizada desta entrega fogosa...

    Um beijo daqueles que bem gostas [quente e molhado] nos teus... tu sabes ;)

    ResponderEliminar
  4. Ler 2 ou 3 posts de uma assentada, numa escrita assim é... de tirar o fôlego, mesmo!

    Adoro o teu toque detalhado, a atenção aos pormenores, o que nos faz visualizar por completo a escrita. Os meus parabéns, é de se tirar o chapéu.

    Beijo libertyo

    ResponderEliminar
  5. Ah a última frase! Ah, as entrelinhas. Ah, os pormenores de um voyeur que finalmente passou a protagonista!

    Ah, levar um homem ao Céu, ao Nirvana dos Sentidos!

    Amei a entrega do Estranho. Finalmente submisso (ou parceiro) de Maria...mas que vulnerável que ele fica quando se entrega...não lhe deve ter sido nada fácil! Mas sentir-se entregue a uma Mulher deve ter sido delicioso :)

    Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!

    Beijo, suspirado, num orgasmo arrancado a uma masturbação de palavras lidas com desejo redobrado...

    O MEU!

    P.S. The foot is IN :)

    ResponderEliminar
  6. Desejo Evidente

    Concordo plenamente com a tua visão, um jogo a duas mãos, repartição de prazer e luxúria.
    Dominar e deixar ser dominado...
    Hummm... divinal

    Beijo caloroso

    ResponderEliminar
  7. Nikita

    Obrigado pelas palavras, ainda bem que gostaste de mais esta aventura.
    Recupera o fôlego com calma... eu deixo...

    Aceito esse Sweet Kiss
    ;)

    ResponderEliminar
  8. Menina S

    Para ti estou sem palavras.
    Fazes parte de toda esta teia de enredo, estas aventuras e devaneios não seriam as mesmas sem ti.
    ;)

    Adoro a tua contribuição...
    Quero esse beijo, vou cobrar...
    Spicy Kiss

    ResponderEliminar
  9. Libertya

    Cuidado com a leitura consecutiva de aventuras de Maria, podem causar lesões sérias a uma mente já por si delirante. As palavras possuem a magia de nos fazer transcender, sentir e viajar no tempo...

    Obrigado pelas palavras quentes, foram sentidas acredita. :)

    Beijo intenso

    ResponderEliminar
  10. Star... Star...

    Tinha prometido, devia estar preparada para o embate de frente, para a invasão mental. Obrigado por te teres perdido nas minhas palavras, nos devaneios e jogos de sedução das minhas personagens. O "Estranho" em breve regressa...

    Beijo teu

    P.S. Are you sure?

    ResponderEliminar
  11. Angelic Deamon,

    I'm not sure of anything except that Paradise exists beyond a hidden beach.

    Salty kiss :)

    ResponderEliminar
  12. Espero fazer parte de tudo isto durante bastante tempo e a continuar com o meu contributo enquanto o entenderes.

    Quanto ao beijo cobra e com juros sim?

    Mais um para cobrares
    Beijinho quente e molhado

    ResponderEliminar
  13. Sem duvida que as palavras têm uma magia que, aliada à sua exímia utilização, criam um ex-líbris mental deveras transcendental...

    A leitura consecutiva apenas lhes dá ainda mais vida! Os efeitos causados valem as lesões contraídas, continuarei a lê-las!
    ;)

    Beijo na mesma medida

    ResponderEliminar
  14. Vim desejar-te um Natal delicioso!

    Beijos com sabor a sonhos =)

    ResponderEliminar
  15. A cada leitura, fica mais evidente, o quão bem escolhido, foi o nome deste blog!

    De facto, Maria traduz na perfeição, as muitas sensações que todos sentimos e, o "atrevimento" com que poucos se deixam conduzir...
    Parabéns pela intensidade, descrição e pormenores dos relatos de Maria! Conjugam de uma forma... sui generis, o que gosto de ter/sentir no sexo!

    [O meu nome é Venus in red... Basium, é outra coisa... ;)]





    Basium

    ResponderEliminar
  16. Star

    Podes acreditar que o paraíso existe.
    É somente necessário encontrar o caminho certo...
    Aproveita a viagem...
    ;)

    7 Beijos

    ResponderEliminar
  17. Menina S

    O teu contributo é mais importante do que imaginas, só eu posso dar o real valor.

    Sabe bem que vou cobrar...
    Tudo...
    ;)

    Beijos Molhados

    ResponderEliminar
  18. Lib

    As palavras alimentam a alma, cada frase, cada texto, invade-nos e fazem voar a nossa imaginação. É somente necessário desfrutar...

    Espero que continues a perder-te por este local...
    ;)

    Beijo Intenso

    ResponderEliminar
  19. Querida FI

    Obrigado pelo carinho, espero que estejas a passar uma óptima época natalícia.

    Quero esse beijo com sabor a sonhos
    ;)

    Retribuo outro na mesma medida, só para ti

    ResponderEliminar
  20. Cara Venus

    Obrigado por mais uma visita, és sempre bem vinda :)

    Confesso que inicialmente o nome do blog era para se chamar "Undisclosed Desires" mas depois levou uns ajustes e foi transformado em algo ligeiramente diferente. Mas o intuito é o mesmo...

    Gosto que te identifiques com o que lês, o intuito da minha escrita é transmitir sentimentos, emoções e transportar-te para dentro das minhas personagens. Eu próprio envolvo-me com elas enquanto escrevo o que sai da minha mente. Pode ser mais emotivo ou mais intenso mediante o meu estado de espírito mas não deixa de ser REAL, algo que pode acontecer a qualquer um, num dia qualquer...

    Basium, vem do latim e significa beijo apaixonado na boca. Tive o cuidado de ir pesquisar o seu significado quando encontrei pela primeira vez o teu Blog. É por gostar da definição que por vezes te chamo isso :)

    Beijo

    ResponderEliminar
  21. Menina Desejo Evidente

    Eu sei que querem, os pedidos dos leitores acumulam-se mas não tem sido fácil arranjar tempo livre para escrever. As ideias para as próximas aventuras estão cá todas, só necessito de tempo para as fazer sair.

    Por acaso não tens ai um pouco de tempo para me vender? Compro a bom preço...

    Prometo novidades para breve...
    ;)

    Beijo

    ResponderEliminar
  22. Post digno de vénia, seguida de aplausos!
    Muito bom, por tudo! Excelente escrita, descrição magnífica.
    E um tesão fantástico provocado pela leitura do conto.
    ;)

    ResponderEliminar

Popular Posts

Tumblr

Contact